top of page

Reportagem sobre Dermatite Atópica - Vitória ES



Dra. Pauline Lyrio participou de reportagem do jornal A Gazeta sobre dermatite atópica.


Algumas informações importantes sobre dermatite atópica:


1) Dermatite atópica é uma doença inflamatória crônica não contagiosa, em que há um comprometimento importante da barreira cutânea e alterações imunológicas do organismo, afetando principalmente crianças. Trata-se de uma condição que envolve ressecamento cutâneao, lesões avermelhadas e coceira na pele, com predileção por áreas de dobras do corpo.


2) A causa exata da dermatite atópica não é totalmente esclarecida, mas se acredita que seja resultante da interação da predisposição genética, deficiência da barreira cutânea e resposta imunológica do individuo com o meio ambiente.


3) A principal característica provocada pela dermatite atópica é o surgimento de uma pele muito ressecada com coceira intensa, que favorece o surgimento de lesões por escoriações pelo ato de coçar. Além disso, podem-se observar áreas mais avermelhadas, especialmente na região das dobras dos braços e pernas. Também podem ser observadas, às vezes, áreas de pele mais claras que o tom normal ou com espessamento devido à irritação causada pela inflamação e coceira prolongada. Não é incomum observarmos associação dessa condição com quadros de asma e rinite alérgica.


4) O diagnóstico da dermatite atópica não exige nenhum exame complementar e é baseado na história e em manifestações clínicas clássicas da doença. Não há achados laboratoriais específicos.


5) O tratamento da dermatite atópica visa, basicamente, reparar a barreira cutânea danificada com hidratação vigorosa da pele, controlar os sintomas de coceira com ativos tópicos e/ou orais (à base de corticoides, imunomoduladores, antialérgicos e, até mesmo, imunobiológicos), reduzir a frequencia dos surtos de piora e, consequentemente, melhorar a qualidade de vida dos pacientes.


6) A hidratação da pele com uso de substâncias emolientes e umectantes é um pilar fundamental não só no tratamento, pois auxiliará na recuperação da barreira cutânea, como também na prevenção de novos surtos. Recomendam-se hidratantes com característica hipoalaergênica, sem fragrancias, nem aditivos e conservantes, 2x/dia, sendo uma dessas aplicações imediatamente após o banho, para evitar evaporação e reter água nas camadas mais superficias da pele, potencializando o efeito de hidratação.


7) Para prevenção da dermatite atópica, recomenda-se manter a hidratação contínua com produtos adequados e identificar e evitar possíveis fatores desencadeantes das crises. Por exemplo: evitar banhos excessivos, com temperaturas elevadas e duração prolongada; evitar uso de sabonetes agressivos e uso de esponjas durante o banho; evitar superagasalhamento, que pode levar à sudorese excessiva; evitar uso de tecidos que provocam coceira como lã e sintéticos; e evitar contato com pó, pelos, perfumes, produtos químicos, ácaros, etc.


8) É importante considerar que é uma doença crônica, a dermatite atópica NÃO é contagiosa e é passível de se controlar com tratamento e medidas comportamentais, portanto, deve ser desmistificada. O paciente deve ser bem esclarecido quanto a mudanças de hábitos e hidratar bastante a pele a fim de melhorar as lesões agudas e evitar que elas cronifiquem, deixando marcas que podem ser estigmatizantes na pele.


Agende uma consulta com seu dermatologista.


Tel.: (027) 3029-2222




bottom of page